política

Em votação, deputado paraibano diz que cannabis medicinal pode viciar crianças na maconha

Por Maurílio Júnior
Pastor da Igreja Universal, Jutay Meneses (Republicanos) é contra o uso medicinal da cannabis

A Assembleia Legislativa da Paraíba derrubou nesta terça-feira (01) o veto do Governo do Estado ao projeto de lei 1920/20 que trata sobre a Política de Prevenção da Saúde e o Incentivo às Pesquisas Científicas com a cannabis medicinal. A matéria é tratada pelo Estado como competência da União. Texto semelhante tramita na Câmara dos Deputados.

+ “Desse jeito, o Brasil tá lascado”

A votação contou com apenas dois votos pela manutenção do veto: Gilberto Silva (PSL) e Jutay Meneses (Republicanos). Em sua justificativa, Jutay, que é pastor da Igreja Universal, falou que é “favorável a medicina desde que com responsabilidade”.

Segundo ele, o uso do medicamento em crianças pode viciá-las na maconha.

“Esse Instituto da Paraíba que quer extrair o óleo da cannabis não tem condição técnica de extrair o vegetal puro. Ainda permanece no vegetal uma química que é viciante. Imagine uma criança de 5 anos usando para o tratamento durante três, cinco, dez anos? Ele vai se tornar viciado. Não existe a condição de extrair o óleo, aqui na Paraíba, sem que tire o viciante”.

+ Contestada por Cunha Lima, Estado não errou na distribuição de vacinas, diz CGU

O líder do governo, Wilson Filho (PTB), se absteve da votação, a exemplo dos deputados Hervázio Bezerra (PSB) e Júnior Araújo (Avante).

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!