opinião

Chefe da Anvisa chuta o balde na CPI da pandemia

Por Maurílio Júnior
Presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres — Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Após o depoimento na CPI da pandemia no Senado, nesta terça-feira (11), Almirante Barra Torres estará com os dias contados à frente da Anvisa.

Ele ratificou o depoimento do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que revelou a tentativa de se mudar a bula da hidroxicloroquina dentro do Palácio do Planalto.

O (ainda) chefe da Anvisa contou que a médica Nise Yamaguchi, que não integra o governo, foi quem sugeriu a alteração na bula do medicamento sem eficácia contra a Covid-19.

Em tom sereno, Torres discordou do comportamento de Bolsonaro na pandemia.

Ele demonstrou arrependimento por ter participado, no dia 15 de março do ano passado, de uma manifestação ao lado do presidente.

Ainda na sabatina, Barra Torres afirmou que falar contra a vacina “não tem razoabilidade histórica” e pediu que a população não se oriente pelo comportamento de quem não usa máscara e desdenha do distanciamento social.

A resposta foi dada a uma pergunta do relator da CPI, Renan Calheiros, sobre as declarações de Bolsonaro relacionadas as vacinas da CoronaVac e da Pfizer.

No linguajar popular, Almirante Barra Torres chutou o balde. 

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!