covid-19

Unimed pede prudência sobre volta às aulas em João Pessoa

Por Maurílio Júnior
Gualter Lisboa Ramalho, presidente da Unimed João Pessoa

Em meio a uma nova alta de casos de Covid-19, o anestesiologista Gualter Lisboa Ramalho, presidente da Unimed João Pessoa, se posicionou contrário ao retorno das aulas presenciais neste momento.

Nas últimas semanas, escolas privadas da capital recorreram à Justiça para reabrirem.

Para Gualter Ramalho, “a prudência é um regime de extrema necessidade”.

“Crianças continuam sendo vetores e adolescentes, sobretudo os que estão se agrupando, também. O cuidado que a gente tem na questão da volta às aulas, no fim de ano desse, é por conta do vetor. Existe um nível de internação baixíssimo de criança com covid. Não chega a um 1%. Entendemos que é uma população menos vulnerável, contudo, alguns casos evoluíram para encefalite, pancreatite, é uma doença sorrateira de um vírus mutante, extremamente muito facetado, ele prega algumas peças, conhecemos um pouco mais a doença, mas em alguns casos nos surpreende, então a prudência é um regime de extrema necessidade no momento”, disse o dirigente ao blog.

Gualter Lisboa Ramalho defendeu as medidas que visam conter o avanço da doença e, apesar do aumento de internações na Unimed, assegurou: “Estamos preparados”.

“O ponto de partida para o controle da pandemia, sobretudo no aspecto de impacto das internações, que poderia colocar em xeque os quatro gargalos da pandemia: espaço, equipe, equipamento e ventilador. A gente sempre coloca o risco de colapso. Estamos preparados para isso, não sabemos se o o sistema público está a altura da magnitude de necessidade. As medidas restrições e sanitárias devem ser mantidas. A gente vai ponderar o formato, a magnitude de como se dará essa restrição, mas as medidas sanitárias são mandatórias para esse momento”.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!