Nota | Michelle Ramalho culpa ‘organizações’ por sucessivos escândalos no futebol paraibano

Por Maurílio Júnior

Em nota, a presidente Michelle Ramalho, da Federação Paraibana de Futebol, culpou “organizações e pessoas” pelos sucessivos escândalos no futebol local.

Neste domingo (05), uma reportagem do programa Esporte Espetacular, da TV Globo, mostrou que Gerson Tomaz da Silva Junior, diretor de Registros e Transferências, e Thalyta Costa Gomes, vice-presidente da FPF, receberam indevidamente o auxílio emergencial do governo federal durante a pandemia do novo coronavírus.

+ Vídeo | Dirigentes da FPF e jogadores do Botafogo-PB receberam indevidamente auxílio do governo

Ramalho diz que foi surpreendida com a reportagem e que, “não pode ser responsabilizada por atos individuais de seus colaboradores e não compactua com nenhuma irregularidade.”

E acrescenta: “Aproveitamos para reafirmar nosso compromisso com a recuperação da credibilidade  do  futebol paraibano, que constantemente é atacado por organizações e pessoas que tentam relacionar o nome desta Federação com fatos negativos.”

Desde que assumiu a FPF em 2018, com compromisso de moralizar o futebol paraibano após o escândalo da Operação Cartola, a gestão de Michelle Ramalho tem acumulado polêmicas. A primeira delas envolveu a própria eleição vencida pela atual presidente. Também persistem denúncias de manipulação de resultados, jogos fantasmas e, por último, o recebimento indevido de um auxílio, em tese, para pessoas com dificuldades financeiras na pandemia, por parte de dirigentes da entidade.

Imagem

Comandada pela bolsonarista Michelle Ramalho, FPF pede fim de ...

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!