João Azevêdo reprova demissão de Mandetta por “ciúmes”

Por Maurílio Júnior

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), reprovou a demissão do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, tomada nesta quinta-feira (16) pelo presidente Jair Bolsonaro.

Para João, diferente de outros países que se unem para enfrentar a pandemia do novo coronavírus, “ciúmes” levaram o Brasil a uma crise política e por consequência a demissão do ministro da Saúde.

“É uma pena que haja uma demissão de um ministro. Não sairá só ele, saíra uma equipe inteira que estava tocando a crise do coronavírus. Em outros países as pessoas se unem para enfrentar, no Brasil se cria uma crise política enorme, talvez até por ciumes e leva a demissão de um ministro. Fico preocupado. Não era hora de fazer uma substituição, em um momento extremamente delicado”, avaliou.

O oncologista Nelson Teich é que assume o cargo. A apresentação do novo ministro já aconteceu durante pronunciamento de Bolsonaro na tarde de hoje.

Nelson Luiz Sperle Teich é formado em Medicina pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), especialista em oncologia pelo Instituto Nacional do Câncer e doutor em Ciências e Economia da Saúde pela Universidade de York, no Reino Unido.

Mandetta e Bolsonaro entraram em rota de colisão após o ministro defender o isolamento social como medida de conter a disseminação do novo coronavírus.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!