Azevêdo ao Hora H: quarentena estendida, folha de pagamento, avanço do coronavírus na PB e saída de Mandetta

Por Maurílio Júnior

O governador João Azevêdo (Cidadania) disse, nesta quarta-feira (15), em entrevista ao Hora H, da Rede Mais de Rádio, que irá prorrogar até a próxima sexta-feira (17), o decreto de isolamento social que visa o fechamento de atividades econômicas na Paraíba e a suspensão das aulas na rede pública como forma de conter a disseminação do novo coronavírus. A nova medida valerá até o dia 3 de maio. O Estado contabiliza 165 casos de Covid-19 e 24 mortes.

Folha de pagamento 

O governador também afirmou que a Paraíba não corre risco de atrasar salários em razão da crise gerada pela pandemia. “Não teremos problema nenhum sobre abril. Está tudo tranquilo. Espero que até maio a gente tenha aquilo que foi anunciado pelo governo federal de que complementaria o FPE [Fundo de Participação dos Estados] aos níveis de 2019 e que tenhamos a aprovação [do Plano Mansueto] no Senado da complementação do ICMS que já foi votado na Câmara. Tenho certeza que encontraremos um caminho para que possamos manter essa estrutura funcionando. Não vejo perspectiva de atrasar salário ou coisa desse tipo. Pode o povo da Paraíba ficar tranquilo. Estamos trabalhando para encontrar uma solução“.

Avanço do coronavírus na Paraíba

De acordo com o governador João Azevêdo, a Secretaria Estadual de Saúde tem estudos que apontam para um avanço significativo de casos do novo coronavírus na Paraíba. A perspectiva é que até a próxima semana o Estado atinja 550 casos, o que representaria um aumento de mais de 230%. Até esta quarta-feira (15), a Paraíba contabiliza 165 casos e 24 mortes por Covid-19. “Nós sabemos que isso é um mal que ainda não tem cura, não tem tratamento específico para ele, não tem uma vacina, um remédio que trate diretamente. Temos um índice de quase 50% de pessoas recuperadas, isso é muito bom, entretanto, sabemos que a medida que precisa ser continuada pela população é o isolamento para que possamos passar por esse momento difícil. Estamos subindo uma curva, e essa curva é muito rápida, a previsão é que possamos no caso da Paraíba ter dentro de poucos dias, um numero muito alto de contaminados. Se hoje temos 165, dia 22 é possível que tenhamos mais de 550 casos. Todas nossas previsões estão batendo dentro daquilo que estávamos prevendo“.

Saída de Mandetta do Ministério da Saúde 

Azevêdo criticou o presidente Jair Bolsonaro pela provável mudança no Ministério da Saúde, se for concretizada a demissão de Henrique Mandetta. Para o governador da Paraíba, Mandetta faz bom trabalho e que a mudança em meio à pandemia é prejudicial para o país. “Fico preocupado porque o ministro estava realizando bom trabalho, estava produzindo muita coisa, estava encaminhado muita coisa, sou da lógica que ninguém é insubstituível, mas num momento de crise como esse ao invés dessa rinha que se transformou o governo, precisávamos de união entre estados e governo federal. Sempre existe a necessidade de culpar alguém por alguma coisa. Isso é muito ruim para o país, vivemos um momento difícil e que não tem como enfrentar uma situação como essa com a divisão tão grande que hoje tem entre governo federal e estados. O governo federal tenta jogar estados contra municípios, é uma disputa constante“.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!