João e governadores cobram “equilíbrio” a Bolsonaro

Por Maurílio Júnior

O governador João Azevêdo (Cidadania) e outros dezenove gestores assinaram uma carta pública em que cobram do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “equilíbrio, sensatez e diálogo”.

Há alguns dias, o presidente prometeu zerar os tributos federais sobre combustíveis se os governadores aceitassem zerar o ICMS.

Segundo os governadores, o presidente se referiu à reforma “sem expressamente abordar o tema, mas apenas desafiando governadores a reduzir impostos vitais para a sobrevivência dos estados”. A conduta, avaliam, não contribui “para a evolução da democracia no Brasil”.

“É preciso observar os limites institucionais com a responsabilidade que nossos mandatos exigem. Equilibro, sensatez e diálogo para entendimentos na pauta de interesse do povo é o que a sociedade espera de nós”, dizem os governadores na nota.

Além de João, assinaram a carta os governadores de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Sergipe, Piauí, Rio Grande do Norte, Bahia, Distrito Federal, Minas Gerais, Pará, Maranhão, Acre, Amapá, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso do Sul e Amazonas.

Eles também criticaram o posicionamento de Bolsonaro sobre a morte de miliciano Adriano da Nóbrega, ligado ao seu filho, Flávio Bolsonaro. Leia mais aqui.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!