Ex-superintendente da Polícia Civil revela pressão do Estado para tirar Lucas Sá da Operação Cartola

Por Maurílio Júnior

O afastamento do delegado Lucas Sá da Delegacia de Defraudações da Capital no ápice da Operação Cartola em 2018 nunca foi bem explicado pelos órgãos de Segurança do Estado.

Com atuação elogiada pela sociedade paraibana, Lucas Sá foi responsável por operações como a Cartola, que desvendou um esquema criminoso no futebol paraibano. Após mais de um ano do acontecimento, a verdade começa a aparecer.

Em entrevista à rádio CBN nesta quinta-feira (6), o vice-presidente da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraiba, o delegado e ex-superintendente de João Pessoa, Marcos Paulo Villela, revelou que foi pressionado para tirar o delegado Lucas Sá do comando da Delegacia de Defraudações da Capital e, por consequência, da Operação Cartola. A investigação desvendou além da manipulação de resultados no futebol paraibano, um eventual conhecimento de agentes políticos sobre o esquema, a exemplo do então governador Ricardo Coutinho (PSB).

“Lucas Sá na época que ele estava na Defraudações eu era o então superintendente. Nós saímos de uma delegacia com 8 policiais para 23. A gente entendia que deveríamos investir porque era uma delegacia que poderia fazer essa contribuição. E toda a sociedade sabe o que aconteceu. Não só ele foi exonerado, como eu também. Até porque em vários momentos me pediram para tirar e eu disse que não tiraria o delegado que estava fazendo o seu trabalho de maneira correta e para tirá-lo teria que me tirar também. E foi isso que aconteceu”, afirmou Marcos Paulo.

Marcos Paulo defendeu a implantação de subsídios, como forma de possibilitar uma maior independência das categorias – sobretudo no caso de investigações que apurem crimes de corrupção e desvios de recursos públicos. Ele citou como exemplo a Operação Calvário, que investiga desvios de recursos estaduais, mas é capitaneada pelo Ministério Público em parceria com a Polícia Federal.

“A questão da Calvário é estranho, porque os crimes são todos estaduais. E a gente não pode participar porque pode ser perseguido, pode ser transferido. E se há uma remuneração por subsídio isso é muito difícil de acontecer”, argumentou.

Para os quem não se lembram, Lucas Sá foi afastado das investigações pelo Governo do Estado após uma reportagem da TV Globo revelar interferência política nas acusações sobre o futebol da Paraíba. A matéria exibiu conversas e indícios de que Ricardo Coutinho sabia do esquema de propina envolvendo dirigentes do Botafogo-PB. Atualmente, Sá se encontra afastado das atividades policiais e fora da Paraíba.

Comentários

Em respeito a Legislação Eleitoral, os comentários estão temporariamente suspensos.

error: Conteúdo Protegido!!