Denúncia sobre máfia no Paraibano é levada ao chefe do Ministério Público

Por Maurílio Júnior

A desconfiança voltou a rondar no Campeonato Paraibano de Futebol após o presidente do Sousa EC, Aldeone Abrantes, revelar suposta ameaça de morte por se negar a participar de um esquema de manipulação de resultados. O promotor Valberto Lira encaminhou a denúncia ao Procurador-Geral de Justiça (PGJ), Francisco Seráphico.

“A Comissão Permanente de Prevenção e Combate à Violência nos Estádios não tem atribuições criminais. Por isso encaminhei os áudios e as mensagens ao Procurador-Geral. Ele dará os encaminhamentos”, disse Valberto Lira.

Ao Blog, o Procurador-Geral Francisco Seráphico informou que a denúncia já está sob os cuidados do Grupo de Atuação Especial e Repressão Contra o Crime Organizado (Gaeco).

Há dois anos, o futebol paraibano foi marcado pela deflagração da Operação Cartola, que desvendou um esquema de manipulação de resultado nas últimas edições do certame local. Dirigentes do Botafogo-PB e Campinense foram banidos, além de árbitros e do então presidente da FPF, Amadeu Rodrigues.

+ Ouça – Dirigente denuncia convite para manipular resultado e insinua ameaça de morte na Paraíba

+ FPF se diz “perplexa” com mais uma denúncia de corrupção no estadual

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!