Catinga da Calvário bate na porta de ministros

Por Maurílio Júnior

Novos áudios de conversas entre Daniel Gomes, o chefão da Cruz Vermelha do Brasil, e o então governador Ricardo Coutinho (PSB) vieram a público nesta terça-feira (7). Ouça abaixo.

Na gravação apresentada por Daniel Gomes, delator da Operação Calvário, ele e Coutinho tratam de supostas compras de votos dos ministro do TSE, para evitar a cassação do político em 2018. Eles citam Luiz Fux e Luís Roberto Barroso.

Os dois ministros teriam sido contatados por meio de terceiras pessoas. No caso de Fux, Daniel menciona Antônio Carlos Amorim, ex-presidente do TJ do Rio, que manteria canal com a filha do ministro, a desembargadora Mariana Fux.

Já com Barroso, segundo Daniel Gomes, o contato teria sido feito pelo ex-procurador do Estado, Gilberto Carneiro.

Não custa lembrar que, em abril de 2018, o TSE absolveu Ricardo Coutinho das acusações de abuso de poder político e econômico, por promover isenções fiscais às vésperas das eleições de 2014 – incluindo o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) -, créditos de reemissão tributária e o programa Gol de Placa para seu favorecimento.

O relator do caso foi o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, o mesmo que soltou Ricardo da prisão recentemente. O voto dado por Napoleão contra a cassação de Ricardo foi acompanhado por Jorge Mussi, Admar Gonzaga, Tarcísio Vieira de Carvalho, Barroso e Fux. A ministra Rosa Weber foi a única a votar pela perda do mandato. 

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!