Família sem pai é fábrica de elementos desajustados, diz vice de Bolsonaro

Por Maurílio Júnior

O general Hamilton Mourão (PRTB) voltou a atacar.

>> TRE-PB notifica PSL por carreata irregular pró-Bolsonaro 

Depois de defender a intervenção militar no caso de as instituições do País não resolverem a crise política, e de venerar o torturador Brilhante Ustra, ex-chefe de um importante centro da repressão durante a ditadura militar, o candidato a vice-presidente de Jair Bolsonaro (PSL) disse em palestra nesta segunda-feira (17), em São Paulo, que o narcotráfico recruta jovens de famílias pobres “sem avô e pai”.

>> MP investiga omissão do Estado nos assaltos em rodovia

Ele pretendia fazer uma correlação entre a “crise de costumes” decorrente do “ataque cerrado à instituição da família”, relatou a Folha de SP.

“A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó. Por isso, é uma fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narco-quadrilhas”.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!