MP denuncia dirigentes de Botafogo-PB e Campinense

Por Maurílio Júnior

Dirigentes do Botafogo-PB e do Campinense foram denunciados pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) por crimes relacionados à manipulação de resultados de jogos do Campeonato Paraibano de Futebol. O presidente e o vice-presidente de futebol do clube da Capital, Zezinho Botafogo, e Breno Morais, respectivamente, e William Simões, mandatário da Raposa, estão na lista.

A manipulação se dava através de fraudes nos sorteios dos árbitros escalados, direcionando os juízes que integravam a organização criminosa para atuarem nas partidas cujos resultados interessavam ao grupo criminoso. As fraudes também ocorriam durante a arbitragem dos jogos para beneficiar algumas equipes.

O MPPB requereu a instauração do processo penal contra os denunciados e pediu a destituição de todos os réus de cargos no Botafogo Futebol Clube e no Campinense. As suspeitas contra Sousa Esporte Clube e Treze Futebol Clube foram arquivadas pela ausência de materialidade dos crimes apontados.

Os denunciados:

Botafogo-PB

1. José Freire da Costa (‘Zezinho Botafogo’, presidente do clube)
2. Guilherme Carvalho do Nascimento (‘Novinho’, vice-presidente)
3. Francisco de Sales Pinto Neto (diretor)
4. Alexandre Cavalcante Andrade Araújo (procurador do clube)
5. Breno Morais Almeida (dirigente do clube)
6. Alex Fabiano dos Santos (empresário)
7. José Renato Albuquerque Soares (Zé Renato, ex-presidente da Comissão de
Arbitragem)
8. Tarcísio José de Souza (árbitro assistente)

Campinense

1. José William Simões Neto (William Simões, presidente)
2. Danilo Ramos da Silva (gerente)
3. Francisco Carlos do Nascimento (árbitro da decisão do Estadual 2018)

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!