O que (quase) ninguém viu no debate da Arapuan FM

Por Maurílio Júnior

Coincidência ou não, o início da propaganda eleitoral no rádio e na TV, somado as pesquisas divulgadas nas últimas duas semanas, mexeram com os candidatos ao Governo do Estado. Pelo menos foi o que eles deixaram a transparecer no debate promovido pela Rede Arapuan de Rádios. Com exceção ao candidato do PSOL, Tárcio Teixeira, que desde o primeiro embate causa danos aos demais, o trio de ferro – João Azevedo (PSB), Lucélio Cartaxo (PV) e José Maranhão (MDB) – abandonou a cautela.

https://instagram.com/p/BnRnjuNAiM3/

A se destacar o confronto entre Azevedo e Maranhão, que se enfrentaram amistosamente no primeiro encontro há três semanas na TV Arapuan. Em resposta ao pessebista, o emedebista intitulou-se como pioneiro das obras feitas nas estradas que interligam as regiões da Paraíba. Maranhão ainda ironizou o PSB por se portar, segundo ele, como descobridor do estado. João rebateu: disse que a atual gestão pegou o programa de estradas parado em 2011.

Em outro momento, Azevedo sugeriu que as passagens de Cartaxo pela CBTU e Porto de Cabedelo se deram por apadrinhamento político e que a carteira de trabalho do opositor seria virgem. A provocação foi rebatida: “O candidato está dizendo que fui contratado por apadrinhamento. O governador Ricardo Coutinho, então, contrata pessoas por apadrinhamento?”.

Em uma observação particular do autor do Blog, João Azevedo mostrou-se inquieto nos dois confrontos. Ainda sobre bastidor, a assessoria jurídica do socialista protestou contra o último bloco do debate, que colocaria dois candidatos frente à frente, como foi realizado na TV Arapuan. Em consenso com os outros três representantes, a proposta acabou abortada antes do início do evento.

Em uma das viradas de bloco, o candidato do PV, Lucélio Cartaxo, recebeu a bênção do marqueteiro: um terço. Cartaxo, aliás, colocou sobre a mesa uma espécie de cartilha. Nela, alguns ganchos de frases. Em quase todas, a abordagem começa pela ideia de governo humanizado.

O candidato do PV foi o único a não receber o comprimento de Maranhão na chegada ao estúdio. O senador, por sinal, foi o último a chegar ao Sistema Arapuan, foram pelo menos dez minutos de atraso.

A demora poderia ser justificada pelo dever de casa de Maranhão. O líder nas pesquisas chegou municiado de perguntas.

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!