Entrevista não é palanque, Maranhão

Por Maurílio Júnior

O senador e pré-candidato ao governo da Paraíba, José Maranhão (MDB), é um expert em política. Aos 84 anos, tentará em 2018 assumir o Estado pela quarta vez. Convenhamos, é uma marca para poucos. A larga experiência só ainda não o serviu para diferenciar duas coisas: palanque e entrevista.

Durante entrevista ao Arapuan Verdade, da Rede Arapuan de Rádios, Maranhão confundiu as bolas. Em plena pré-campanha, o que fez aparecer em recente levantamento, como um dos mais faltosos senadores, Maranhão se queixou equivocadamente de não ser questionado sobre propostas para o povo paraibano, embora tenha se recusado a avaliar a gestão do PSB no estado, partido rival nas eleições em outubro.

Sabidamente, o jornalista Heron Cid – que perguntara sobre a motivação que o leva a tentar a ser governador pela quarta vez, além da avaliação da gestão socialista – interviu o engano de Maranhão: aqui a gente pergunta.

Só se responde o que é perguntado – ainda que outros tópicos, como os esclarecimentos sobre as constantes faltas no Senado e a denúncia recente do ex-companheiro de partido, Raimundo Lira, também pudessem ser elencados como prioridades numa bateria de perguntas.

Mesmo sendo o mais longevo político paraibano, ainda dá tempo, Maranhão.

Entrevista não é palanque.

Foto: Edcarlos Santana

Comentários:
error: Conteúdo Protegido!!